CIDADE FUTURA



Cidade Futura

Institucional

  ORGANIZAÇÃO COM FINS AFETIVOS 

Como sempre fizemos ou projetamos, trata-se de uma agenda imaginária focada na cidade futura, naquilo que vem, na vida que virá, na obra à fazer, no sonho à viver, com as pessoas que dela participarem.

Esta nova década é especialmente importante para nós. Se, nos primeiros anos pensamos e vivemos no curso e no empuxo dos Encontros de Maio (fizemos os Maio de 1998 e 2008), e que marcaram a criação histórica da Cidade Futura e sempre pautou nossos investimentos já feitos e afazer e.... 

agora, abre-se uma criação, já que a década que se inaugura trás uma novidade, duplamente projetada nas dobras da futuridade: uma primeira, que representa politicamente a III edição dos Encontros de Maio (em 2018), quando faremos um esforço de viver o que nos resta de 68, e às novas gerações  deste agora-amanhã depois de amanhã, e, por outro lado, diante dos 100 anos da arte moderna, pensamos realizar os "Encontros de 22" ou "Encontros da Futuridade".

A nova agenda da Cidade Futura está focada nestes dois acontecimentos, um de caráter político, mas culturalmente virtual e, outro, de caráter cultural, mas politicamente atual. Movimentos e perspectivas que se completam, e, ao mesmo tempo, se separam. 

Sim! ainda a Política, porém, pensada a partir da nova hierarquia que se expressa no seguinte microverso:

Primeiro a Filosofia.

                                       Antes a Poesia.

                                                                                   A política depois!

A 'nova política' inseparável, como sempre, da velha natureza, segue na sua forma inventiva - no esteio da Invenção Democrática dos anos 68 - 88 e que, de certo modo, marcou toda uma geração fundada na cultura do livro. 

Mas a nova política será (ou não) a Democracia Futura, e isso vai depender do que fizermos - e do 'como' fazemos - a cultura, que se expressa nesta nova geração de viventes nascidos no novo século e milênio.

destaque: Gabriel, O Pensador e Zuenir Ventura nos Encontros de Maio 2008, lançamento do projeto Bom de Ler - Cidade Futura/Parati.

Para operar essa dupla agenda de maio de 2018 e outubro de 2022 - os meses e anos acima são metáforas da história da Cidade Futura -  estamos reorganizando dois novos espaços institucionais vinculados, respectivamente, ao "Projeto do Livro" (agenda da editora Cidade Futura)  e "Obra da Leitura" (o que fizemos com o Instituto Cidade Futura).

O Projeto do Livro se apresenta agora, pela proposta de fazer do livro, mensagem. Já não basta uma "declaração de amor aos livros", é preciso muito mais, tornar a arte do livro, mais que impressão, uma expressão artística e filosófica. É esse jeito de fazer cultura na cidade (polis) com amizade (philia) e alegria renovadas.